quinta-feira, 1 de março de 2012

Fim da Piracema: período termina sem prisão, mas com algumas apreensões na região

Terminou ontem o período de restrição de pesca em Minas Gerais, conhecido como o período da piracema, quando os peixes sobem para as cabeceiras dos rios para se reproduzirem. O período defeso, como é conhecido, começou no dia 1º de novembro de 2011. A época representa a renovação e manutenção dos estoques pesqueiros nos rios.

De acordo com o militar, das sete cidades que a corporação atende que são,  Senhora do Porto, Sabinópolis, Dores de Guanhães, Paulistas, Guanhães,Materlândia e Rio Vermelho, Guanhães é a que teve maior número de apreensões. Entre os apetrechos encontrados, redes, anzóis e tarrafas estão na lista. O balanço da Piracema será finalizado ainda nesta semana.
Fim do período da piracema não elimina restrições da pesca

Os pescadores não devem esquecer que existem regras para a pesca que devem ser seguidas durante todo o ano. A pesca é uma atividade de subsistência e os pescadores, amadores ou profissionais, devem observar a quantidade e o tamanho dos peixes retirados do rio. "O limite de captura e transporte por pescador amador é de 10 quilos, mais um exemplar, sempre observando o tamanho mínimo dos peixes", explica o coordenador de Gestão da Pesca e Aqüicultura do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Miguel Ribon Júnior.
Sem contar que em Minas, existem alguns locais onde a pesca é proibida. "Não é permitido a pescar a menos de 200 metros a montante ou a jusante de cachoeiras ou corredeiras, próximas à foz dos rios, da confluência de rios principais com os seus afluentes ou de barramentos", ressalta Miguel Ribon.
É sempre importante lembrar que para pescar, transportar o material de pesca e o pescado é obrigatório ter a licença emitida pelo órgão competente. No caso da pesca amadora, é necessária a carteira de pesca, que pode ser obtida nas unidades de atendimento do IEF em todo o estado ou pelo site. A carteira deve ser renovada anualmente.

Nenhum comentário: